Flebite – O que? Tipos, Causas, Sintomas e Tratamento


A flebite também é conhecida como “tromboflebite”, é uma condição que causa a formação de  coágulo sanguíneo em uma veia. O problema pode ocasionar o bloqueio parcial ou total da passagem do sangue em diversas partes do corpo, entretanto, as pernas são as mais acometidas.

A flebite pode atingir homens e mulheres de qualquer idade, contudo, é mais comum em mulheres, especialmente as que ficam muito tempo em pé, usuárias de anticoncepcionais e gestantes.

Tipos de Flebite

Existem 2 tipos de flebite: A superficial e a profunda. É através dessa identificação que o especialista avalia o grau de gravidade do problema.

– Flebite superficial: Ela acomete as veias que ficam abaixo da pele, do mesmo modo das varizes e por ser um pequeno coágulo não representam riscos a saúde.

– Flebite profunda: Já nesse caso, o problema aparece no sistema venoso profundo, nessa região do corpo, o fluxo de sangue é mais importante, por isso, ele pode pressionar o coágulo fazendo com ele se desprenda e bloqueie artérias importantes do corpo humano como o coração. Além disso, pode levar a outras complicações como a embolia pulmonar.

Causas da Flebite

Pessoas que possuem mais fatores de riscos de desenvolvimento de problemas vasculares são mais atingidas pela flebite. Por isso, questões genéticas são bastante avaliadas nesses casos, entretanto, existem outras causas da flebite, que são:

  • Má circulação sanguínea
  • Lesões nas veias
  • Obesidade
  • Inflamação nos vasos sanguíneos
  • Problemas de coagulação do sangue
  • Contaminações no uso de agulhas
  • Varizes
  • Produtos químicos que irritam a região
  • Períodos longos na mesma posição, geralmente causado por viagens longas, em pé por longas horas, sentado por muito tempo e internações hospitalares;
  • Sedentarismo
  • Tabagismo
  • Aterosclerose
  • Câncer
  • Reposição hormonal
  • Uso de anticoncepcionais
  • Gestação

Sintomas da Flebite – Como identificar?

Os sintomas da flebite podem variar de acordo com o tipo ( Superficial ou Profunda). Geralmente, é comum o inchaço e o enrijecimento das veias, pois elas ficam bem aparentes sob a pele deixando a região bem sensível ao toque.

Já em casos da trombose venosa profunda a região mais atingida são as panturrilhas ou as coxas, os primeiros sinais são: Enrijecimento da perna, sensação de calor, rubor e em alguns casos um edema.

Em casos mais graves, a pessoa pode ter bastante dificuldade para andar.

É importante buscar um especialista para avaliar a região, se precisar, ele solicita alguns exames de imagem que avaliam as veias profundamente.

Flebite – Como tratar?

Existe tratamento para flebite, por isso é importante avaliar a saúde das veias do corpo, percebendo alterações, busque orientação médica.

O primeiro passo será o diagnóstico do tipo de flebite. Geralmente, o tratamento é baseado em:

  • Uso de medicamentos que aliviam a dor e impedem a formação de coágulos;
  • Repouso, onde as pernas e braços devem ser elevados;
  • Compressas quentes na região atingida;
  • Uso de meias compressivas para prevenir o inchaço e melhorar o fluxo de sangue;
  • Fazer caminhadas para estimular o fluxo sanguíneo;
  • Massagens com cremes, pomadas ou loções com arnica podem ajudar a melhorar a dor e a circulação de sangue no local;
  • Em caso de flebite na região da virilha, é realizado uma cirurgia para impedir a passagem do coágulo em outras áreas;
  • Flebites profundas devem passar pela trombólise para dissolver os coágulos, além disso, podem ser colocados filtros na veia principal para evitar e embolia pulmonar;

Ambos tipos de flebite podem ser tratados com sucesso, o tempo de recuperação podem durar dias, semanas ou até meses.

Como prevenir a flebite?

Como a flebite é uma condição relacionada a má circulação sanguínea, o primeiro passo é melhorá-la. Os hábitos de vida estão diretamente ligados ao problema, por isso, a adoção de pequenas mudanças pode ajudar a evitar a flebite. Confira:

  • Beba água – Um corpo hidratado favorece uma circulação sanguínea adequada;
  • Mude a alimentação – Insira elementos nutritivos nas refeições como: Legumes, verduras e frutas ricos em fibras, vitaminas e minerais. Esqueça embutidos e alimentos industrializados ricos em gordura, sal e açúcar;
  • Movimente-se – A vida sedentária aumenta as chances de varizes, é preciso fazer caminhadas, mover bastante as pernas e elevá-las durante a noite para que o sangue não coagule;
  • Controle o peso – É importante manter um peso saudável para evitar a flebite;
  • Mova braços e pernas a cada duas horas – Se trabalha em pé ou sentada, é importante mudar a posição dentro desse período, desse modo, o sangue circula melhor;
  • Ande descalço – Essa ação ajuda no fortalecimento dos músculos e também dos ossos;
  • Não fume;
  • Durma com as pernas sobre um travesseiro para dar uma elevada e favorecer a circulação sanguínea;
  • Em viagens longas, é importante movimentar as pernas as cada duas horas, se levante ou mecha as pernas como se estivesse costurando para favorecer a circulação sanguínea;
  • Não use roupas que apertam demais os braços e pernas;
  • Excesso de calor pode prejudicar a saúde vascular causando vasodilatação excessiva das veias originando sensação de peso, inchaço e dor nas pernas;
  • Álcool e cafeína podem elevar a pressão sanguínea, portanto devem ser ingeridos com moderação;

O mais importante: JAMAIS ignore qualquer sintoma de inchaço, vermelhidão e dor nos braços e pernas, pois a flebite que não é tratada pode evoluir para complicações mais sérias.

Procure um médico para diagnosticar o problema. A especialidade médica que cuida da flebite é o Angiologista Vascular.

 

Leia também: Modulação Hormonal Bioidêntica

Tags

, , , , , ,